/*------------------- Blogger Theme by Bruna Borges - © 2013 (HTTP://ENDSTONIGHT.TUMBLR.COM/) Não se inspire ou Copie. Base: Minina ------------------------ */

sábado, 8 de dezembro de 2012

Mini imagine hot com Liam Payne



"A Entrevista"
Acordei sentindo meu corpo dolorido, mas ainda assim sorri me lembrando da noite maravilhosa que tive com Liam. Se alguém me falasse a um ano atrás que eu namoraria Liam Payne eu iria rir. Eu, uma fã qualquer. Apenas uma em vários milhões. Mas ele havia me escolhido, e isso é o que importa. Fiz uma careta ao me espreguiçar, não sei porque estava tão dolorida, nós nem abusamos tanto assim… Isso se não contarmos a pia do banheiro e a máquina de lavar… É, talvez nós tenhamos extrapolado um pouquinho. Bem pouquinho. Olhei em volta e soltei uma risadinha ao ver a cueca de Liam pendurada em cima do lustre, e por um momento me perguntei como ela foi parar lá. Me levantei escutando meu estômago roncar, peguei a camisa de Liam que estava jogada no chão e coloquei minha calcinha. Comida, eu preciso de comida! Saí do quarto e escutei a voz de Liam, parei por um momento não querendo dar de cara com outra pessoa que não fosse meu namorado nos trajes que me encontro. Ou melhor, na falta deles. Mas então me lembrei que Liam iria dar uma entrevista a uma rádio pelo telefone, sorri e me direcionei até a cozinha. Parei no entanto ao ver Liam. Meu Deus aquilo tudo é realmente meu namorado? Eu devo ter sido muito boazinha por umas dez encarnações pra merecer isso tudo. Esqueci da minha fome ao olhá-lo. Aliás descobri que eu ainda estava com fome, mas não de comida. Liam estava largado no sofá parecendo um Deus. O cabelo ainda estava úmido e todo bagunçado, usava uma regata preta, uma bermuda Jeans e um tênis. Simples. Mas divinamente gostoso. Eu realmente gosto do contraste do preto na pele de Liam. Ele abriu um sorriso ao me ver, e eu continuei lá parada, feito como diria Louis uma cenoura congelada. Liam me olhou da cabeça aos pés e eu senti meu corpo esquentar instantaneamente, não é possível ele conseguir fazer isso com apenas um olhar. Não é justo! É sempre assim, eu comendo na mão de Liam, se ele me pedir pra pular do alto da estátua da liberdade eu pularia e nem pensaria sobre o assunto. Ele me tinha na palma de suas mãos, sempre teve e eu desconfio que sempre me terá . Respirei fundo sentindo seu olhar me atravessar, e uma idéia passou por minha mente.Será? Minha expressão mudou instantaneamente, e eu pude perceber que Liam mudou a sua para apreensão também. Me aproximei de Liam lentamente, tentando criar coragem para o que se passava em minha mente. Me sentei no colo de Liam, que franziu a testa olhando em meus olhos. Ajeitei-me com uma perna de cada lado do corpo de Liam, e nossos quadris se encaixaram, como sempre. Sorri torto para Liam que me olhava confuso, pisquei para ele e me inclinei roubando um selinho de seus lábios. Desci minha boca por sua mandíbula e pescoço, deixei um rastro de beijos até sua orelha e sussurrei em meio a mordidas.
– Não se esqueça que está em rede nacional. – eu disse chupando o lóbulo da orelha dele e o senti arrepiar.
Um ano é tempo suficiente para conhecer os pontos fracos de uma pessoa, e eu sei bem os de Liam. Comecei a distribuir beijos pelos ombros de Liam que estavam expostos devido a regata, enquanto o senti retesar-se. Ótimo. Em um ataque de coragem eu movi meus quadris lentamente me esfregando em Liam, e o assisti fechar os olhos e morder o lábio. As mãos dele vieram automaticamente para minha cintura e eu repeti o movimento, ele me olhou e eu indiquei o telefone. Enfiei uma mão por baixo da barra de sua regata e deixei minhas unhas arranharem seu baixo ventre, Liam encolheu a barriga e deu uma leve afastada no telefone para gemer. Fiz uma cara de brava e segurei sua mão o obrigando a colocar o telefone de volta na orelha.
– Comporte-se Payne, você está trabalhando… - eu disse baixo tomando cuidado para minha voz não sair na ligação.
Liam falava coisas que eu não prestava atenção na tal da entrevista e eu só esperava que aquilo durasse tempo suficiente para que eu pudesse colocar minhas idéias em prática. Comecei a fazer movimentos com meu quadril em cima de Liam, enquanto o arranhava e beijava aonde eu conseguia alcançar. Ele jogou a cabeça para trás apertando os olhos e os punhos tentando se controlar, e eu deixei um sorriso escapar o sentir a ereção de Liam se formando abaixo de mim. Ainda me pressionei mais em Liam, e então sem avisar e nem nada eu saí de seu colo. Vi Liam fazer uma careta entre o decepcionado e o aliviado e voltar a falar normalmente. Eu ri e me ajoelhei em sua frente. Deslizei minhas mãos pelas coxas de Liam que arregalou os olhos novamente, passei minhas unhas por seu tornozelo e subi até onde sua bermuda me permitia. Voltei a arranhar seu abdômen, e desci até a barra de sua bermuda, fiquei deslizando minhas unhas por aquela região como se fosse a coisa mais entediante do mundo. Liam tentou segurar minha mão mas lhe desferi um tapa olhando-lhe séria. Abri os botões de sua bermuda e o zíper e Liam me olhou preocupado me arrancando um sorriso novamente. Sem pensar muito abaixei sua bermuda e sua cueca de uma vez só e dei uma risadinha ao ver que sua ereção já estava bem avantajada. Distribui beijos pelas coxas de Liam, deslizando minhas mãos por toda sua perna, fingindo ignorar totalmente o membro pulsante à minha frente. Fiquei enrolando e provocando Liam calmamente, e então quando Liam olhou para cima pra tentar se concentrar em uma resposta eu vi a minha deixa. Enfiei o membro de Liam inteiro em minha boca e o escutei soltar um gemido alto. Olhei para ele que me olhava ofegante.
– Eu…. chutei o sofá… - escutei Liam tentar se justificar.
Pulei toda aquela parte de ir com calma no começo, eu queria fazer Liam ficar em minhas mãos como eu ficava nas dele, e pra isso não poderia dar tempo para ele pensar, ou até pra mim mesma pensar ou provavelmente eu iria morrer de vergonha. Apoiei minhas mãos nas coxas de Liam e confesso que apertei de propósito, deixando a marca de minhas unhas de leve. Chupei a pontinha circulando com minha língua e tive que conter o riso ao ver Liam apertar os olhos e pedir para a pessoa do outro lado da linha repetir a pergunta. Comecei a torturar Liam, deslizando minha língua lentamente por toda a extensão de sua ereção. Sem pressa. Protegi os dentes com o lábio e o envolvi com a boca fazendo pressão na cabeça e voltando a chupá-lo. Percebi Liam agarrar a beirada do lençol e apertar as mãos. Aumentei o ritmo, e depois parei e novamente Liam grunhiu, e disfarçou com um pigarro, como se estivesse limpando a garganta. Ah mas eu faço questão de procurar essa entrevista pra escutar depois na internet. Saí de meus devaneios quando escutei Liam dizer que responderia apenas mais uma pergunta pois precisava desligar. Precisava porque? Sorri internamente com minha cara de pau e sem pensar duas vezes comecei a chupar Liam intensamente e vi que ele deixou a marca dos dentes em seu lábio tentando conter-se. Assim mesmo Liam. Respirei fundo e forcei todo o membro de Liam em minha boca, sentindo-o em minha garganta, Liam deu um murro no sofá e quando olhei em seus olhos pude ver sua pupila dilatada, e um arrepio subiu por minha coluna ao ver a cara de predador de Liam. Voltei a chupá-lo e novamente o forcei contra minha garganta, não era a melhor das sensações uma vez que Liam era realmente bem dotado, mas eu não ligava, apenas queria enlouquecê-lo e pelo visto estava funcionando. Senti o membro de Liam ficar ainda mais duro em minha boca e percebi que ele gozaria, ótimo, quero só ver como ele vai fazer pra se controlar no telefone. Concentrei-me em chupar a ponta enquanto masturbava o resto e quando percebi que Liam se segurava eu não pensei duas vezes. O engoli todo o sentindo bater em minha garganta. Seguido pelo gozo de Liam. Levantei os olhos a tempo de ver Liam desligar o telefone e jogá-lo longe ao mesmo tempo em que soltava um verdadeiro grito de alívio. Continuei chupando-o fingindo que nada estava acontecendo. E os gemidos de Liam atingiam meus ouvidos como bombas eróticas… Depois de gozar, Liam soltou seu peso no sofá e deitou a cabeça no apoio aparentemente tentando respirar, dei um sorrisinho e me levantei como se nada tivesse acontecido, dei um pequeno selinho em Liam e saí da sala deixando-o sozinho. Voltei para o quarto e tomei um banho rápido. E gelado. Confesso que eu tinha um sorriso idiota no rosto. Eu tinha conseguido domar Liam Payne! Há, eu sou foda! Saí do chuveiro cantarolando, me sentia bem. Mas congelei quando entrei no quarto. Liam estava deitado na cama com as costas apoiadas na cabeceira, só vestindo sua bermuda, sem camisa e descalço,com os braços ao redor da cabeça e de olhos fechados. Meus Deus, ele estava querendo me matar era isso? Só podia. Tentei ignorar a visão do paraíso e me direcionei ao closet.
– Hey Vanessa… - parei no meio do caminho. Sempre tive uma tara pela voz de Liam, mas ela nunca havia soado tão sexy, tão … sombria. Não consegui falar nada, apenas me virei para ele - Você acha mesmo que está tudo bem? - ele disse abrindo os olhos e senti alguma coisa repuxando-se no meu estômago - Acha que vai brincar comigo em rede nacional e vai ficar tudo bem? Ah amor… você não sabe com quem brincou…
Liam levantou-se e eu engoli em seco. Meu deus aonde foi parar o Liam fofo e carinhoso de sempre? Liam andou até mim e eu simplesmente não conseguia me mover. Senti ele enroscar sua mão em meu cabelo e me puxar para si possessivamente e em pouco tempo sua língua invadia minha boca. Liam me beijava exigentemente. Uma mão me mantendo colada a si pelos cabelos e outra simplesmente arrancou minha toalha, jogando-a em algum lugar do quarto. Liam me ergueu do chão e em um movimento rápido me jogou na cama. Assisti ele se aproximar da cama lentamente, não falava nada. Apenas ficou lá, me encarando com aqueles olhos sombrios. Liam deslizou a ponta de seus dedos sobre a pele descoberta de minha barriga e eu me contorci lentamente, como um simples toque podia fazer aquele turbilhão de sensações passar por meu corpo? Liam inclinou-se em minha direção e senti sua boca em meu pescoço ele deslizava a língua por minha pele deixando um rastro de algo que eu podia jurar ser mais quente do que fogo. Beijou meus ombros e toda a extensão de meus braços, até que finalmente chegou em meus seios, e assim como eu havia feito com ele mais cedo, Liam simplesmente os envolveu com a boca, sem aviso nenhum, eu arfei. E levei minhas mãos até seu cabelo. Liam em um movimento rápido imobilizou meus dois braços acima da minha cabeça.
– Fique quieta mocinha, trate de se comportar ou serei obrigado a te amarrar… - ele disse olhando em meus olhos e eu senti o efeito bem em minha região sul. Liam me deu um selinho e puxou meu lábio inferior em uma mordida extremamente sexy.
E então ele voltou ao que estava fazendo. Envolveu meu seio em sua boca, e o chupava quase dolorosamente. Quase, porque era bom demais pra me importar. Liam prendeu suavemente um de meus mamilos em seus dentes e puxou me fazendo soltar um gemido. Oi? Da onde saíram todas essas sensações? Liam repetiu todo o processo no outro seio e sério, isso estava me deixando louca. Senti a língua dele passear por toda a extensão de minha barriga e não pude evitar de contorcer na cama ao sentir sua bocha chegar perigosamente perto da onde eu queria. Da onde eu precisava que ele chegasse. Foi então que Liam simplesmente parou e me levantou o olhar.
– Eu avisei… - ele disse balançando a cabeça em uma negação e se levantou. Por alguns segundos ele sumiu no closet e voltou segurando uma gravata e um cinto. Arregalei os olhos.
– Liam o que você vai fazer?- eu disse confesso que assustada
– Já falei pra ficar quieta. – ele disse simplesmente e juntou novamente minhas mãos acima de minha cabeça e as amarrou com a gravata, fiquei mais aliviada ao ver que ele usou o cinto para me prender na cama. Aliviada? Qual é ao meu problema. Bom ele poderia resolver me dar uma surra pelo que fiz hoje de manhã. Arregalei os olhos em entendimento. Liam estava se vingando pelo… “incidente” do telefone. E se eu for honesta comigo mesma tenho que admitir que estou adorando. Tentei puxar minhas mãos e vi que Liam as havia realmente imobilizado. Como foi que ele aprendeu a dar um nó desse? Não me lembro dele dizendo que era escot.. Woah! Liam foi direto ao ponto. Assim sem enrolação sem nenhuma enrolação ou aviso eu senti a língua dele em minha intimidade, e tenho que admitir que aquilo estava cretinamente gostoso. Não sei o que estava mais sensual, sentir a boca de Liam me massageando daquela forma ou o olhar filho da puta que ele me direcionava. Eu queria fechar os olhos mas não conseguia me desprender de seu olhar. Eu não conseguia nem ao menos encontrar minha voz pra gemer, era como estar em um transe. Um transe sexual chamado Liam Payne. Senti Liam me penetrar com um dedo enquanto circundava meu ponto de prazer com a língua. Ele brincava com seus dedos no meu interior me preparando para ele, droga que se fodesse a preparação, eu queria Liam dentro de mim logo , eu me sentia tão quente… Eu PRECISAVA dele dentro de mim ou eu tinha certeza que derreteria. Ali em seus braços. Liam voltou a sugar meus seios ainda me provocando com seus dedos e minha voz aparentemente lembrou que existia quando um gemido saiu de meus lábios.
– Quieta - Liam disse e enfiou mais um dedo em mim como que me desafiando a gemer, mordi meu lábio e ele me direcionou um sorrisinho - Boa menina.
Minha mente estava dividida entre insultar Liam com os piores palavrões que eu conseguisse pensar e gemer loucamente. Eu não podia fazer nenhum dos dois uma vez que eu não me encontrava em condições de pensar em nenhum palavrão e tão pouco podia gemer. Então eu fiquei ali, simplesmente sentindo e esperando o momento em que eu simplesmente entraria em combustão. Vi Liam colocar uma camisinha e internamente dei graças a deus, minha tortura estava chegando ao fim. Engano meu. Liam me segurou pelas coxas abrindo mais minhas pernas, e ficou ali, se esfregando em mim de um jeito filha da puta!
– Liam por favor… - Eu disse tentando não gritar e impulsionando meus quadris a seu encontro.
– Eu vou fazer o que eu quiser e quando eu quiser, agora quieta se não quiser que eu te amordace também - Liam respondeu calmo, como se estivesse falando sobre a droga da previsão do tempo. Enquanto me penetrava com a ponta de seu mebro, prendi a respiração fechando os olhos, mas os abri rapidamente quando ele simplesmente saiu. NÃO, NÃO, NÃO NÃO, VOLTA AQUI E TERMINA ISSO!
Liam ameaçava me penetrar, e em seguida saia, depois se esfregava em mim, e depois me provocava de novo e então me penetrou. De uma só vez e eu soube que se eu não explodi naquele momento não explodiria nunca mais. Foi completamente impossível controlar um gemido que se alguém escutou jura que é um grito de escapar por meus lábios ao senti-lo dentro de mim.
– Eu não disse que podia gemer - Liam disse e eu senti ele desferir um tapa em minha coxa. Um tapa forte, mas que sendo honesta foi mais gostoso do que doloroso.
Liam se movia intensamente dentro de mim, eu escutava o barulho de seus quadris contra os meus, e sua respiração arfante, sentia a firmeza com que me penetrava e que suas mãos passeavam por meu corpo. Era intenso. Muito intenso. Liam puxou uma de minhas pernas mais para cima e e me penetrou com força conseguindo me provar que dava pra ir ainda mais fundo. Senti sua boca colada em minha orelha.
– Agora você pode gemer - ele disse se enfiando novamente em mim.
Mas eu não tive tempo de gemer porque Liam roubou meus lábios em um beijo, tentei puxar minhas mãos mas a droga do nós estava muito bem feito, sendo assim tudo que pude fazer foi retribuir o beijo. Minha cabeça rodava e senti meu corpo se contraindo do modo característico do orgasmo, eu sentia Liam invadindo minha alma, e roubando minha boca. Eu era dele, simples assim. Rebolei meu quadril de encontro ao dele e foi a vez de Liam gemer contra meus lábios, e eu repeti o movimento só porque adorei escutá-lo gemendo. Nós nos entregamos um ao outro como nunca havia acontecido, e quando chegamos ao orgasmo juntos eu soube que era assim que tudo deveria ser, eu nos braços dele e ele nos meus.
Ele saiu de mim e eu me deixei apenas observar o quão lindo ele estava com aquele cabelo bagunçado pós-foda e o rosto afogueado. A forma como seu peito subia e descia em busca do ar que também me faltava. Meu deus eu poderia repetir isso pro resto da minha vida e desconfio que além. Ele foi até o banheiro creio que se livrar da camisinha, e voltou com um sorriso. Era meu Liam de novo. Ficou parado me olhando.
– Hãm… Será que agora pode me soltar? - Eu disse e tive que pigarrear porque minha voz não saia direito.
– Ainda estou decidindo, me agrada a idéia de você amarrada a minha cama pra sempre - ele sentou-se ao meu lado e deslizou a mão por meus braços - só pra mim, pro que eu quiser…
Eu arfei. Porra, proposta aceita. Mas ele riu e em seguida eu sentia meus braços sendo libertos, fiz uma careta ao sentir uma dor na região. Liam pegou e desamarrou-me da gravata e sem seguida depositou um beijo em cada pulso. Em seguida me puxou para um beijo inesperado, um beijo diferente. Não sei dizer, em que, apenas era diferente. Era um outro Liam que me beijava. Um Liam mais maduro, era o beijo de um homem e não do meu garoto. Mas quando ele partiu o beijo e me olhou, eu vi no seu sorriso doce que o meu Liam ainda estava ali. E como mágica eu tive certeza que me apaixonei mais por ele.

3 comentários:

  1. OH MY LIAM! QUE HOT!!

    ResponderExcluir
  2. esse é o meu favorito de todos os hot's do Liam

    ResponderExcluir
  3. MEU NOME EH VANESSA POHAAAAAAAA AMEY

    ResponderExcluir